Há espaço no mercado brasileiro de bebidas para o desenvolvimento de variedades com baixo teor alcoólico, ampliando as opções para adultos que estão aderindo à tendência mundial de moderar o consumo de bebidas alcoólicas. Cerca de dois quintos dos adultos brasileiros consumidores de bebidas alcoólicas estão reduzindo seu consumo e diminuindo gastos com esse tipo de bebida. E esse comportamento provoca que adultos em todo o mundo dentro da faixa legal de consumo de bebidas alcoólicas  procurem por opções de menor teor alcoólico, que se encaixem com seus objetivos de bem-estar, economizar dinheiro ou ter um melhor controle de seus atos.

Embora a saúde seja uma razão internacional para a diminuição do consumo de álcool, no Brasil, a questão da saudabilidade vem, devido à crise econômica, acompanhada da economia de dinheiro como motivações principais para um consumo moderado.

Formulações com baixo teor alcoólico têm espaço para crescer

Para atender a essa nova demanda do consumidor, os fabricantes podem oferecer mais formulações de baixo teor alcoólico. De acordo com o Banco Global de Novos Produtos da Mintel (GNPD), menos de 1% dos lançamentos de bebidas alcoólicas no Brasil continha de 0,0% a 3,5% de álcool entre julho de 2013 a junho de 2018. Complementando, a disponibilidade de bebidas com baixo teor alcoólico é limitada no mercado, sendo a cerveja a única subcategoria que oferece produtos com teor alcoólico reduzido.

Além das preocupações com saúde e custos, uma maior variedade de produtos com baixo teor alcoólico seria também uma alternativa para adultos que estão preocupados em dirigir após beberem, principalmente depois que as multas aumentaram no final do ano passado.

Oferecer produtos com porcentagem variada de álcool

Outra oportunidade para as empresas é que elas podem variar os níveis de teor alcoólico dentro de seus portfólios para ajudar os adultos a escolherem os produtos que melhor se adequam a seus estilos de vida. Por exemplo, Lemon-Do é uma bebida alcoólica aromatizada lançada pela Coca-Cola no Japão, que oferece três sabores, cada um com uma porcentagem alcoólica diferente.

Criar uma linha de bebidas com baixo teor alcoólico ou sem álcool pode ajudar as marcas a atraírem jovens adultos, que estão demonstrando tendências para consumir menos álcool do que as gerações anteriores. No Brasil, isso inclui os Millennials mais jovens a geração nascida entre 1982 e 1998 e os membros mais velhos da geração Z, que estão atingindo a idade legal para bebidas alcoólicas. Além dos problemas de saúde, bem-estar e custos, os jovens adultos estão mais atentos em manter o controle de seus atos para evitar mensagens de mídia social embaraçosas. Assim, as marcas com conteúdo alcoólico reduzido podem fornecer, a esses jovens, uma maneira mais segura de socializar com menos risco de intoxicação.

Formulações híbridas podem ser desenvolvidas para ajudar na moderação das bebidas

Outras opções para reduzir o teor alcoólico são produtos que misturam bebidas não alcoólicas com alcoólicas, oferecendo um sabor aprimorado e teor alcoólico mais baixo. Os adultos brasileiros mais jovens, com idade legal para beber, são os mais interessados por bebidas alcoólicas prontas para beber misturadas a bebidas não alcoólicas. Por exemplo, a pesquisa da Mintel mostra que dois em cada cinco consumidores entre 18 e 24 anos gostariam de ter mais opções desse tipo. E, para atender a essa demanda, os fabricantes podem desenvolver mais variedades que misturam sucos, refrigerantes e outras bebidas não alcoólicas com bebidas alcoólicas para criar produtos que sejam saborosos, e que ao mesmo tempo contenham teor alcoólico mais baixo.

O que nós pensamos

À medida que o Brasil adota a tendência global em moderar o consumo de bebidas alcoólicas, os fabricantes brasileiros podem expandir a linha de produtos com baixo teor alcoólico disponíveis no mercado. As empresas têm a chance de buscar inspiração internacional em bebidas com baixa porcentagem alcoólica, como aquelas que oferecem linhas com teor variado de álcool ou criar novos produtos que misturam bebidas alcoólicas com não alcoólicas. Essas inovações com quantidade reduzida de álcool podem incentivar os adultos a permanecerem ativos na categoria de bebidas alcoólicas. Dessa forma, ao mesmo tempo, eles reduzem a quantidade de álcool ingerida ou os seus gastos, adequando-se a um estilo de vida moderno.

Jenny Zegler é especialista global de tendências em alimentos e bebidas na Mintel. Ela combina seu conhecimento em tendências com assuntos específicos das categorias de alimentos e bebidas, como saúde e bem-estar, formulação, sustentabilidade e premiunização. Jenny também contribui com análises em todas as categorias de bebidas e com o desenvolvimento das tendências anuais da Mintel desde 2014.

Alimentos e Bebidas

Nossa rede internacional de pesquisadores de campo e analistas da categoria de alimentos trabalham conjuntamente combinando dados, conhecimento, previsão e inovação em ações de insights que possam ajudá-lo a alimentar as suas estratégias e processos de desenvolvimento

Leia mais
© 2018 Mintel Group Ltd. | Política de privacidade | Termos | Uso de Cookies