Os brasileiros mostram, de forma geral, interesse em ter uma vida com hábitos de alimentação saudável, mas por outro lado demonstram resistência para certos tipos de comportamento que exigem maior esforço e mudanças mais radicais em seu dia a dia. Nova pesquisa da Mintel em Tendências em Alimentação Saudável revela que 58% dos consumidores nunca tentaram ou teriam qualquer interesse em seguir uma dieta vegetariana/vegana, 34% também disseram que não experimentaram e não estariam interessados em comer alimentos ou tomar bebidas orgânicas. Ao mesmo tempo, 31% revelaram que não tentaram e não estariam interessados em evitar alimentos que contenham adoçantes artificiais.

Tradicionalistas, os brasileiros associam uma dieta saudável à uma refeição preparada em casa. De fato, quando querem comer de forma saudável, 55% dos consumidores afirma que cozinha em casa. Aliás, eles dizem ter opções limitadas para se alimentar de maneira saudável quando querem comer fora. De acordo com a pesquisa, 32% dizem que acham difícil comer de forma saudável fora de casa, isso mostra que há oportunidades significativas para empresas e marcas superarem essa percepção.

“Como os consumidores afirmam que há opções saudáveis limitadas para se alimentar fora de casa, existe oportunidade para a inclusão de pratos e ofertas saudáveis nos cardápios de restaurantes, padarias e lanchonetes. E mesmo não havendo uma grande adesão às dietas vegetariana e vegana, os consumidores têm buscado diminuir o consumo de carne vermelha e aves, o que pode ser uma oportunidade para outros tipos de proteína animal, como peixes e frutos do mar e também para opções de proteína de outras fontes, como sementes e grãos. Seja para o consumo no lar ou fora de casa, as marcas devem oferecer produtos que atendam exigências básicas e mais gerais, como limitar a quantidade de sal e açúcar, mas também ter algumas opções que consigam atender as necessidades que ainda são de nicho, como alimentos funcionais, uso de adoçantes naturais ou produtos de origem vegetal como substitutos dos carboidratos e proteína animal”, afirma Ana Paula Gilsogamo, especialista em Alimentos e Bebidas, na Mintel.

O sal, de fato, é um dos principais focos de preocupação dos brasileiros. Quando perguntados se haviam tentado ou estariam interessados em adotar determinados hábitos, a pesquisa Mintel revela que 58% dos consumidores tentaram limitar a quantidade de sal consumida, por exemplo quando cozinha ou adiciona aos alimentos prontos, aparecendo como a principal atitude tomada para estabelecer uma alimentação saudável. Consumir alimentos e bebidas ricos em proteínas/fibras e limitar a quantidade de açúcar, como quando fazem bolos ou adicionado ao café/chá surgem em segundo na pesquisa, sendo citados por 52% dos entrevistados.

“Esse interesse do consumidor pode ser uma oportunidade para que surjam opções de temperos e de sal com menos sódio e mais naturais, que tenham passado por menos processos industriais. Também existe espaço no mercado para que o uso de ervas e outros condimentos seja ressaltado”, sugere Ana Paula.

De todas as refeições, o café da manhã é aquela em que o brasileiro mais freqüentemente busca por opções saudáveis. A pesquisa Mintel revela que, para 68% dos consumidores, o café da manhã é a ocasião mais importante para ser saudável, comparado a 26% daqueles que classificam o almoço como sendo a refeição em que ser saudável mais importa.

A pesquisa Mintel também mostra que entre aqueles que dizem que estão mais inclinados a uma opção saudável durante o café da manhã, 52% tentaram consumir alimentos ou bebidas ricos em proteínas/fibras. E 30% dos trabalhadores em tempo integral citaram o almoço como a refeição mais importante para ser saudável, significativamente mais do que quem trabalha meio período ou está desempregado.

“Uma boa oportunidade para as marcas de alimentos e bebidas pode ser ensinar o consumidor a preparar refeições mais práticas, saudáveis e de fácil armazenamento, que podem ser levadas como marmita para o trabalho. Investir na parceria com canais e portais online focados na preparação deste tipo de refeições e que indiquem formas de elaborar uma marmita prática e nutricionalmente balanceada pode ser uma boa alternativa. Já para o café da manhã, lançar itens ricos em proteínas e fibras pode ser uma oportunidade de diferenciação para os produtos destinados a essa ocasião de consumo, como leites, queijos, sucos, achocolatados, iogurtes, pães e cereais”, conclui Ana Paula.

© 2018 Mintel Group Ltd. | Política de privacidade | Termos | Uso de Cookies