O futebol surgiu na Inglaterra. E enquanto a maioria dos britânicos torce pela Inglaterra, o Brasil também exerce uma certa simpatia na ilha. De fato, uma nova pesquisa da Mintel revela que a seleção brasileira de futebol é o segundo time que mais tem torcedores na Grã-Bretanha na Copa do Mundo de 2014. Metade, 52%, dos britânicos diz que vai torcer pela Inglaterra durante a Copa do Mundo. Mas analisando todos aqueles que torcerão para um outro time durante o evento, 17%, o anfitrião Brasil vem em segundo lugar – com até 32% das pessoas, que apoiarão outro time, dizendo que vão torcer pela seleção brasileira. Espanha, 24%, Itália, 19%, Alemanha, 15%, Argentina, 12%, e Holanda, 12%, surgem a seguir na pesquisa.

O foco no Brasil durante a Copa do Mundo, aparentemente, também vai trazer benefícios a longo prazo ao pais, revela a Mintel. De fato, mais de um, em cada 10 (13%) britânicos, afirma ter interesse em visitar o Brasil como resultado do evento. Especificamente, a maior parte das pessoas interessadas ​​em visitar o Brasil vive nas regiões nordeste e noroeste da Inglaterra, 14%. Ao mesmo tempo, cerca de 9% dos consumidores britânicos afirmam ter interesse em experimentar os produtos brasileiros, como alimentos e bebidas, número que sobe para 14% em Londres e na Grande Londres.

“A Copa do Mundo é o início do período de três anos de exposição prolongada do Brasil na mídia. E isso parece que já está despertando o interesse do consumidor no país como destino para turismo e produtor de alimentos e bebidas. Produtos como guaraná, cachaça e cerveja têm enorme potencial, assim como o churrasco e o açaí. No setor de vestuário, marcas de moda praia podem se estabelecer no exterior. Definitivamente, o evento traz um novo frescor para a percepção que os estrangeiros têm sobre o Brasil, o que abre as portas para novas explorações de mercado”, explica Richard Cope, consultor sênior de Tendências, da Mintel.

Como esperado, a Copa do Mundo impulsiona algumas categorias de consumo dentro do mercado brasileiro. Mas como já observado no relatório de Estilos de Vida dos Brasileiros, 2014 tende a ser um ano de compras moderadas, pois o consumidor está mais cauteloso. A Copa provavelmente impulsionará o consumo de itens ligados ao lazer (como saídas, comidas e bebidas para ocasiões especiais), mas que não pesarão muito nas contas do final do mês. E os brasileiros, como geralmente fazem, devem reunir amigos e parentes para assistir aos jogos em suas casas, o que também pode refletir nas indústrias de produtos de limpeza e eletrônicos.

Essas são as categorias que devem se beneficiar devido ao evento:

Bebidas não alcoólicas: os lançamentos de refrigerantes e sucos de fruta para as ocasiões da Copa e Olimpíadas devem impactar nas vendas até 2018, já que os novos lançamentos podem continuar atraindo os consumidores mesmo no período pós-eventos.

Bebidas alcoólicas: em 2014 espera-se que a Copa do Mundo estimule o consumo de bebidas alcoólicas tanto em casa como fora de casa.

Roupas e Acessórios: estima-se que a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 contribuirão para o aumento nas vendas de 7% e de 6% previstos para estes anos, devido ao aumento do turismo e uma maior demanda por roupas e itens relacionados a esses eventos (como bandeiras, almofadas, lembranças em tecido e bonés).

Férias: as projeções para o crescimento do setor de férias destacam 2014 (crescimento de 14%) e 2016 (9%), especialmente em razão dos eventos esportivos que ocorrerão no país no período. Como os jogos da Copa envolverão diferentes cidades, o estímulo turístico/ regional tende a ser mais expressivo do que o dos Jogos Olímpicos, centrados no Rio de Janeiro.

Alimentação Fora de Casa: devido ao turismo, a Copa do Mundo deve ajudar as vendas no setor.

© 2017 Mintel Group Ltd. | Política de privacidade | Termos | Uso de Cookies